Você cuida das mudanças que seu negócio pede?

“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças” Charles Darwin

gestão da mudança

É natural que no início de um negócio tudo aconteça de maneira intuitiva e com base em tentativas e erros. Porém, com o tempo, é fundamental que a liderança se torne mais consciente e responsável pelo desenvolvimento da organização. Isso vale, inclusive, para empreendedores que seguem atuando sozinhos. 

Eu gosto muito do conceito de gestão que diz que gerir é cuidar


Ser responsável pela gestão de um negócio é ser responsável por cuidar dele, para que se desenvolva, frutifique e se fortaleça. São inúmeros os cuidados necessários, nas mais diversas áreas: financeira, de pessoas, relacionamento com clientes e fornecedores, de processos, entre outras. 


Mas hoje que quero lhe falar um pouco sobre um cuidado que poucas lideranças têm com seus negócios, especialmente, aqueles que são responsáveis por micro e pequenos negócios: a gestão da mudança.


Uma empresa é feita por pessoas e para pessoas, sempre! E as pessoas estão em constante transformação. Por isso, é natural que nossos negócios também estejam. Muitas vezes essas mudanças até começam de maneira positiva: as indicações e vendas aumentam, conseguimos fornecedores melhores, novas parcerias se firmam etc


Porém, mesmo com este cenário positivo, se não cuidarmos dele com carinho corremos o risco de tudo desandar. As coisas que antes iam muito bem, agora parecem fugir de nosso alcance. Surgem as primeiras falhas operacionais, os primeiros atrasos nas entregas, reclamações de parceiros e clientes ou até questões mais sérias, como prejuízos financeiros. 


Estes são sinais de que é chegada a hora de promover as transformações necessárias para que o crescimento volte a acontecer. Às vezes, basta uma pequeno ajuste: uma nova contratação, uma alteração no processo de produção ou na distribuição… outras vezes, a transformação precisa ser mais robusta e requer um diagnóstico da situação e um planejamento das mudanças a serem implementadas, com definição de passos e resultados esperados intermediários


E é aí que eu vejo muitos empreendedores falhando, pois eles seguem fazendo (ou tentando fazer) pequenos ajustes, que vão sendo cada vez mais necessários e, quando o empreendedor se dá conta ele está completamente atarefado, apagando incêndios, vivendo na urgência. Ele está tão imerso nas correções operacionais, que não consegue tomar a distância necessária para agir como um gestor


Você se identifica com este cenário?


Se sim, eu lhe recomendo respirar fundo e emergir. Você PRECISA tomar distância para cuidar melhor do sue negócio. Sei que isso dá um medo tremendo e que o pensamento é: “mas se eu parar de apagar estes incêndios operacionais, aí mesmo que tudo vai travar e f*&%$ de vez!”.  Acredite, essa pausa e distanciamento será FUNDAMENTAL para a sustentação do seu negócio em longo prazo. Nenhuma empresa sobrevive sem uma boa gestão. 


Mas, Virgínia, então eu preciso parar tudo e fechar para balanço para fazer essa tal de gestão da mudança? 


Não necessariamente! Em alguns casos mais graves isso pode ser importante, em outros é perfeitamente possível conduzir tudo em paralelo. 😉 Siga com o operacional, mas separe um bom tempo na agenda para gerir a mudança. Contrate alguém temporariamente, se necessário. Pode ser alguém para tocar o operacional ou alguém para te dar o suporte necessário neste processo de transformação. 


E fica ligado aqui, ou se cadastra no formulário lá embaixo para receber em primeira mão, que no próximo texto eu vou contar um pouco sobre os principais passos de uma gestão da mudança. 😉 

Caso você já queira promover um processo de gestão da mudança em seu negócio, eu recomendo o Programa GPS – encontrando a melhor rota para seu empreendimento.

Até lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *