Vamos falar sobre Relações?

relações

Por Virgínia Luz e Silvia Kohek

 

Dando sequencia às publicações relacionadas à Visão Quadrimembrada das Organizações, neste texto aprofundaremos um pouco mais a terceira dimensão, a das Relações.

Caso tenha perdido ou queira refrescar a memória, você pode conferir os textos anteriores sobre as duas primeiras dimensões, a dos Recursos e a dos Processos.

É a partir desta dimensão que as organizações saem do “piloto automático” e ganham mais vida.

Isso porque as pessoas não realizam os processos e desempenham suas funções de maneira automatizada. Elas conversam, expressam sentimentos, demonstram humores, estabelecem relações no ambiente de trabalho, profissionais e pessoais.

Quando esse campo está equilibrado, as pessoas que trabalham na organização se sentem bem no ambiente, sentem que são consideradas como seres humanos (e não robôs), constatam que há abertura para suas expressões e acolhimento em relação aos seus sentimentos, opiniões e sugestões.

Entretanto, o campo das Relações não contempla apenas as relações internas (entre a equipe, entre gestores e equipe, entre as lideranças etc), ele envolve também as relações externas (com clientes, fornecedores, parceiros etc).

Toda organização, seja pequena ou grande, em fase inicial ou já consolidada, precisa estabelecer e cuidar de uma rede de relações, que serão fundentais para que ela se sustente ao longo do tempo.

O círculo mais próximo de relações a ser nutrido é o do grupo de sócios e colaboradores (equipe).

Em seguida, vem o círculo de apoiadores, voluntários, fiadores, benfeitores financeiros etc. Estas pessoas desempenham um papel muito importante no início da organização, para que ela comece a se concretizar e se fortalecer.

Verdadeiros apoiadores são vitais para a vida de qualquer negócio!

Cuida-se então do círculo dos clientes e outros círculos, como: organizações parceiras, fornecedores, concorrentes, etc.

Por fim, atenta-se para a comunidade na qual a organização está inserida e a sociedade como um todo.

O primeiro passo antes de iniciar o estabelecimento das relações é refletir sobre quais são as relações que se quer nutrir e como elas podem ser estabelecidas com cada um dos círculos citados de maneira alinhada com o propósito e os valores da organização.

Uma ferramenta que auxilia bastante nesta reflexão é o Mapa dos Stakeholders¹.

Ela é amplamente difundida no universo empresarial e serve para mapear e traçar estratégias para aproximação de todas as pessoas que deveriam ser envolvidas no desenvolvimento de uma organização ou de um projeto.

Você pode baixar a caixa de ferramentas para elaborar o Mapa de Stakeholders do seu negócio aqui. 😉

As mudanças que dizem respeito a essa dimensão exigem habilidades interpessoais e levam ao desenvolvimento da organização.

E mais importante, levam a um desenvolvimento saudável dela, em que as pessoas envolvidas poderão ser mais proativas e colaborativas, uma vez que se sentem cuidadas e parte de um todo.

Se você precisa de ajuda para cuidar e desenvolver melhor as relações internas ou externas de seu negócio, entre em contato. Vamos conversar melhor sobre o assunto e desenhar uma proposta de acordo com sua necessidade!

¹ Afinal, o que são Stakeholders? Stake significa interesse, participação, risco. Holder significa aquele que possui. Portanto, stakeholders são todos aqueles com papel direto ou indireto na gestão e resultados de uma organização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *